Polícia Civil prende condenada no Caso Érico

A cabeleireira Ana Lira Colbeich da Silva, 68 anos, foi presa na noite desta segunda-feira pela Polícia Civil para cumprir a pena de 20 anos de reclusão pelo assassinato do professor Érico da Luz Ribeiro, um dos crimes mais rumorosos da história de Cachoeira do Sul.

O mandado de prisão expedido horas antes pela Justiça foi cumprido por três agentes da Polícia Civil, que foram à casa de Ana Lira, no Bairro Cohab. Após ser presa, ela foi conduzida para o registro da ocorrência na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento e depois recolhida ao Presídio Estadual de Cachoeira.

Ana Lira foi levada ao banco dos réus para encarar o júri popular em 2010 no Fórum de Cachoeira, ocasião em que foi condenada a duas décadas de prisão pelo assassinato do ex-genro, ocorrido em fevereiro de 2002.

Ela foi considerada mandante do homicídio ao lado da filha Juliana Colbeich da Silva, também condenada pelos jurados em 2010 pela morte de Érico, que foi torturado antes de ser executado com um tiro na cabeça. O corpo de foi jogado depois na beira na ERS 403, estrada que liga Cachoeira a Rio Pardo.

As duas haviam sido presas em 2016, quando a Justiça autorizou a prisão de condenados em segunda instância, entendimento que foi revisto depois e elas acabam novamente ganhando o direito de apelar em liberdade.

Mais Notícias