Por que é importante manter a sua privacidade online?

Muitas pessoas desconhecem a necessidade de se ter segurança online, e esta falta de informação pode causar sérios danos a estes usuários. Acessar sites é habitual em muitos ambientes, deste modo é inevitável deparar-se com páginas de procedência duvidosa.

Entre os males causados por este descuido, há o exemplo de roubo de dados bancários na rede, que além de prejuízos econômicos, pode abalar a saúde emocional e física, como relata algumas vítimas deste tipo de crime.

É preciso ter consciência de que ao nos conectarmos a websites, estamos nos expondo a algum nível de risco. Dentre aqueles que já possui este conhecimento, há os que optam por utilizar o modo anônimo de navegação ou pela configuração de uma rede VPN com ExpressVPN, que se apresenta como uma solução mais efetiva quando comparada com a primeira, pois ela permite a camuflagem do endereço IP do usuário e das informações trocadas entre o aparelho e a internet.

Como terceiros possuem acesso aos seus dados?

Você pode até achar que por não ser uma figura pública, não há interesse de terceiros em seus dados e você pode navegar tranquilamente nas redes. Entretanto, as suas informações valem ouro para algumas pessoas, como empresas de tecnologia e hackers.

- Empresas de tecnologia

Você já parou para pensar no quanto empresas como a Google possui informações a seu respeito? Se a localização no seu dispositivo móvel Android estiver ativa, a empresa tem acesso ao seu endereço. Se você usa o Google Agenda, ela visualiza todos os seus compromissos. Ao utilizar o Google Chrome, todas as páginas visitadas e as ações que você fez na sua conta Google são armazenadas neste navegador.

Desta forma, a Google, apesar de facilitar bastante a nossa vida, tem uma gama de informações sobre a sua vida que você permite o acesso de maneira automática. Obviamente, ela não é a única empresa que possui este tipo de informações, se você utiliza contas da Apple, ou redes sociais como o Facebook, corre os mesmos riscos.
Com esses dados, as empresas montam um perfil sobre cada usuário e tem uma visão detalhada sobre os seus passos nas redes.

- Hackers

Apesar de que nem todos os hackers são nocivos, muitos não possuem boas intenções ao hackear os dados dos usuários, assim, podem ocorrer extorsão, crime de falsidade ideológica, clonagem de cartão, entre outros danos provocados por estes criminosos. Há várias técnicas utilizadas por eles para conseguir informações e algumas delas são:

Vírus: Esta é a forma de hackear mais conhecida de todas. Ela ocorre muitas vezes através da instalação de softwares nocivos, que podem infectar o computador e coletar informações sobre os usuários.

Keyloggers: Por meio de um software, eles captam as teclas mais utilizadas pelo seu teclado para descobrir a sua senha e ter acesso a todas as suas contas.
Pishing: Clonagem de sites conhecidos (como, por exemplo, bancos e lojas) e envio de links com formulários por e-mail ou telefone, solicitando a atualização de cadastro da vítima. Desta forma, eles coletam os dados mais importantes como dados de cartões de crédito, senha, RG, CPF, etc. e aplica os golpes desejados.

- Governo
O governo também tem acesso às suas informações quando lhe é conveniente. Como ocorreu, por exemplo, no início da pandemia do coronavírus, que para rastrear o número de pessoas que cumpriam o isolamento social, foi solicitado às companhias do setor telefônico no país, dados sobre as localizações dos celulares da população.

Um marco importante no que diz respeito a privacidade online no Brasil é a Lei Geral da Proteção dos Dados, que entrou em vigor em setembro de 2020 e permite ao usuário um maior controle sobre os dados disponibilizados, através da transparência de como os materiais coletados pelas empresas serão utilizados e a possibilidade de retirada do database da empresa, caso o usuário não consinta com aquela política de armazenamento dos dados.

Mais Notícias