Como o gato reconhece o seu dono?

14/05/22 às 08h20 - por Cristiane Vieira da Cunha



Embora os gatos vejam, sintam o cheiro e o toque dos humanos, os felinos podem reconhecer o tutor apenas pela voz! Apesar de o olfato também ser um sensor que identifica o tutor de longe, nesse caso, a audição é o mais importante, pois o olfato dos felinos não é tão potente quanto o dos cachorros. 

Ao ouvir a voz dos tutores, os gatos balançam levemente o rabo, dilatam a pupila e mexem as orelhinhas. Já reparou se o bichano faz isso enquanto você fala com ele? Se ainda não, tente observar: é assim que os felinos reconhecem os tutores.  

Agora que você já sabe como o gato reconhece seu dono, talvez se pergunte como os gatos veem seus donos. Essa não é uma pergunta tão fácil de responder, já que não é possível saber exatamente o que se passa na mente dos bichanos. 

Segundo o autor do livro “Cat Sense”, o biólogo especialista em felinos John Bradshaw, os gatos enxergam seus tutores como outros gatos! Para eles, não existem diferenças entre espécies. 

Os bichanos são animais bem apegados às suas rotinas, eles reconhecem bem o ambiente e a família. Por isso, os gatos sentem saudades do dono também. Caso haja alguma mudança ou ele fique longe dos tutores em época de férias, por exemplo, os gatos sentem falta de seus tutores e de casa. 

Os gatos, embora não como os cachorros, estabelecem também um elo importante com sua referência humana. Sim, os gatos se lembram dos antigos tutores, mas  não é possível afirmar por quanto tempo um gato lembra do dono ao longo de sua vida. 

Graças ao vínculo estabelecido e à capacidade cognitiva, eles são capazes de fixar a memória da pessoa com quem vivem e mantêm isso por anos. Por isso, os gatos sentem falta das pessoas que estão separadas e podem ser afetados pelo abandono.  

Felizmente, mesmo que eles se lembrem da sua antiga família, muitos são capazes de aceitar e fazer parte de outra experiência felizes novamente, por isso é possível adotar um gato adulto e ele se adaptar a esse novo lar.

Para isso, é importante oferecer tudo aquilo que é conhecido como o ambiente enriquecido onde ele vivia, assim ele pode realizar as atividades da espécie como brincar, escalar, arranhar, descansar em lugares altos e monitorar seu território.