Blog dos Espíritos

Acreditar vale a pena – a fé transporta montanhas

11/09/2023 08:54 - por Rosane Sacilotto

Seguindo a campanha de valorização da vida fortalecida pelo Setembro Amarelo, falamos aqui de um das passagens mais bonitas do Evangelho, aquela que nos mostra que tudo é possível quando se tem fé e se acredita no Deus de amor e justiça. E essa passagem encontramos no Evangelho de Mateus, 17: 14 a 20: “Quando ele veio ao encontro do povo, um homem se lhe aproximou e, lançando-se de joelhos a seus pés, disse: Senhor, tem piedade do meu filho, que é lunático e sofre muito, pois cai muitas vezes no fogo e muitas vezes na água.

Apresentei-o aos teus discípulos, mas eles não o puderam curar. — Jesus respondeu, dizendo: Ó raça incrédula e depravada, até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-me aqui esse menino. — E tendo Jesus ameaçado o demônio, este saiu do menino, que no mesmo instante ficou são. — Os discípulos vieram então ter com Jesus em particular e lhe perguntaram: Por que não pudemos nós outros expulsar esse demônio? — Respondeu-lhes Jesus: Por causa da vossa incredulidade.

Pois em verdade vos digo, se tivésseis a fé do tamanho de um grão de mostarda, diríeis a esta montanha: Transporta-te daí para ali, e ela se transportaria, e nada vos seria impossível”.

O Mestre Jesus muitas lições nos trouxe e em todas elas demonstrou amor, caridade e o poder da fé, e no Evangelho Segundo o Espiritismo, encontramos elucidações sobre o verdadeiro sentido desta lição: “No sentido próprio, é certo que a confiança nas suas próprias forças torna o homem capaz de executar coisas materiais, que não consegue fazer quem duvida de si. Aqui, porém, unicamente no sentido moral se devem entender essas palavras.

As montanhas que a fé desloca são as dificuldades, as resistências, a má vontade, em suma, com que se depara da parte dos homens, ainda quando se trate das melhores coisas. Os preconceitos da rotina, o interesse material, o egoísmo, a cegueira do fanatismo e as paixões orgulhosas são outras tantas montanhas que barram o caminho a quem trabalha pelo progresso da humanidade. A fé robusta dá a perseverança, a energia e os recursos que fazem se vençam os obstáculos, assim nas pequenas coisas, que nas grandes.

Da fé vacilante resultam a incerteza e a hesitação de que se aproveitam os adversários que se têm de combater; essa fé não procura os meios de vencer, porque não acredita que possa vencer.

Desta forma, o poder da fé está em nossa força e vontade de acreditar que é possível, de querermos e buscarmos nos melhorar e evoluir, enfrentar as incertezas e dificuldades da vida com resignação e na certeza de que tudo passa, como bem ensinou Maria em recado enviado a Chico Xavier através de seu mentor Emmanuel, num momento em que Chico enfrentava grandes problemas de saúde. 

Em outro trecho do Evangelho Segundo o Espiritismo colhemos mais ensinamentos: “A fé sincera e verdadeira é sempre calma; faculta a paciência que sabe esperar, porque, tendo seu ponto de apoio na inteligência e na compreensão das coisas, tem a certeza de chegar ao objetivo visado. A fé vacilante sente a sua própria fraqueza; quando a estimula o interesse, torna-se furibunda e julga suprir, com a violência, a força que lhe falece. A calma na luta é sempre um sinal de força e de confiança; a violência, ao contrário, denota fraqueza e dúvida de si mesmo”.

Em qualquer situação de dificuldade e desespero que se apresente, a primeira coisa que devemos ter em mente é nos acalmarmos, termos fé e se não conseguirmos sozinhos resolver ou encontrar uma solução, pedirmos ajuda, conversarmos, procurarmos alguém de confiança, um serviço de apoio, os órgãos e profissionais da saúde e também podemos recorrer aos atendimentos fraternos existentes nas sociedades espíritas.

A fé é mãe de todas as virtudes, da esperança e da caridade, formando com essas uma trindade inseparável, desta forma, tenhamos mais fé, em nós mesmos, em Deus nosso pai, em Jesus Mestre e Guia, em nosso anjo de guarda e espíritos protetores e sigamos em frente no caminho evolutivo, na esperança de dias gloriosos, quando alcançaremos a perfeição. Por enquanto, procuremos nos melhorar a cada dia, através da vontade sincera e da caridade e amor ao próximo.

KARDEC, Allan – “O Evangelho Segundo o Espiritismo”;
Federação Espírita do Rio Grande do Sul – material de divulgação pela valorização da vida.

Faça seu login para comentar!
27/05/2024 09:26

Perdoar setenta vezes sete

06/05/2024 10:15

A fé e a caridade

29/04/2024 09:50

Esquecimento do passado

22/04/2024 08:43

Provas e expiações

15/04/2024 10:00

Autoridade de Jesus

08/04/2024 11:33

A porta estreita

25/03/2024 11:01

Deus e o Espiritismo

18/03/2024 10:45

O verdadeiro espírita

11/03/2024 09:40

Fé raciocinada