Dia da mulher

09/03/22 às 08h34



Oito de março é a data símbolo para discutir e reivindicar valores, direitos e conquistas. Dia de reflexão. De celebrar a igualdade de gêneros, a luta por acesso a garantias sociais, educação e cultura. Momento especial para promover uma nova realidade. Dia de homenagear as mulheres. Mãe, esposa, filha, tia, namorada, noiva, avó, amiga... moça e senhora. Nos milagres da comparência só as mulheres são capazes de abrigar em seu próprio corpo a gênese do homem. Na literatura e na poesia. Parabéns a todas as mulheres, Coras, Adélias, Cecílias, Clarices...

Era uma vez
uma mulher que
via um futuro grandioso
para cada homem
que a tocava.
Um dia
ela se tocou.
Alice Ruiz

Com licença poética
Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada. 
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou tão feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
-- dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.
Adélia Prado

O mar dos meus olhos
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma
E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos
Ficam para além do tempo
Como se a maré nunca as levasse
Da praia onde foram felizes
Há mulheres que trazem o mar nos olhos
pela grandeza da imensidão da alma
pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...
Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma.
Sophia de Mello Breyner Andresen

A vida é sempre a mesma para todos:
Rede de ilusões e desenganos.
O quadro é único,
A moldura é que é diferente.
Florbela Espanca

QUANDO CHEGAR
Quando chegar aos 30
serei uma mulher de verdade
nem Amélia nem ninguém
um belo futuro pela frente
e um pouco mais de calma talvez
e quando chegar aos 50
serei livre, linda e forte
terei gente boa ao lado
saberei um pouco mais do amor
e da vida quem sabe
e quando chegar aos 90
já sem força, sem futuro, sem idade
vou fazer uma festa de prazer
convidar todos que amei
registrar tudo que sei
e morrer de saudade.
Martha Medeiros

Intervalo do corpo
Da condição de mulher
Que a natureza me impõe
Extraviada figura exposta
Venho por meio desta
Solicitar que me desembarace 
Da identidade convencional
Mesmo que batizada
Em simples padrão errante
Pois que sinto
Um corpo pintado de branco
Sem no entanto
Do corpo combatente
Me apegar a cor
A cor que encoraja e mágoa
De quem enxerga por fora
Só corresponde a crença
Do voo cego de sempre
Se a vida suspende sem corpo
A verdadeira existência
De quando se vive
Em cada passo da essência.
Cris mb

AMENDOEIRA
Mulher, tu és louca!
Erro. Engano seu.
Sou cria de outra fêmea
Que pariu, vida me deu.
Sou terra fértil, porosa.
Onde nasce mato e brisa deita.
Papel riscado, livro usado.
Poesia que deleita.
Sou erva. Losna. Anis.
Corpo luarento, perfumado.
Que só de olhar dá vontade.
Início da humanidade.
Da comuna feminista
Cristal e ferro. Feiticeira.
Múltipla, de vários modos.
Fenômeno raro. Amendoeira.
Não sou parte do teu feudo.
Véus não me prendem mais.
Livre. Poderosa. Absoluta.
Submissão?  Jamais!
Se tudo isto me faz louca
Assusta esta postura, posição
Retira - te deste mundo
Já fui utopia. Sou razão. 
ELEANA ROLOFF

Somos poesia
Somos poesia
Pois nossas palavras inspiram liberdade 
É não há palavra que suporte a prisão 
Somos mulheres livres 
Não há mulher que não seja liberta em sua própria essência 
Somos a luta a dor e a paciência 
Somos a poética sem rima ou clima 
Somos pois queremos 
Podemos e insistimos 
Somos às vezes amor e carinho por querer 
Em outras vezes somos força bruta por necessidade 
Somos inexplicáveis 
Indomáveis 
Incomparáveis 
Somos mulheres poetas 
Pelas ruas da cidade 
Somos o real sentido das palavras Amor, justiça e igualdade.
Fátima Farias 

PECADO
Cheiro de pecado
Encanto de santa
Sorriso, vento, calmaria
Temporal de arco-íris
Mar, maresia
Música, poesia
Positivo e negativo
Na contradição e certeza
É rocha e pantanal
Escuridão e beleza
A própria complicação
Na simplicidade da natureza
É  “M’’ na palma da mão
Maria, mãe e mulher
Na luta por um lugar ao sol.
Mara Garin

Ser mulher
Mulher 
Menina pequena
Menina moça 
Que virá mulher 
Que luta 
Que sonha 
A boneca ficou
No canto da sala 
O batom ficou na penteadeira do quarto 
E a mulher abriu fronteiras, 
Libertou -se e conquistou seus sonhos
O sonho de ser mulher
Rosana Ortiz

Às mulheres que escrevem
[Você já escreveu hoje?
Me conta, como estás te sentindo?
Indaga curioso o caderninho de cabeceira.]
Deixa eu sentir o rebolado da tua escrita
O desenho da tua letra marcando a minha linha
A leveza da tua valsa desenhada na cor azul anil
E a dureza da tua roda punk vomitada em fel
Quero sentir o vai e vem do teu pincel
Marca minh´alma
Marca meu papel
Celulose é deserto
Página em branco é livro aberto
Vem escrever o teu papel
Marca minh´alma
Rabisca minha pele
Vem escrever o teu papel
Mariana Carlos

A lua está nua
Hoje nem sei o que sangro
Se endométrio 
Ou embrião
Se válvula aberta
Do meu coração
Hoje nem sei o que derramo
Se sangue de menstruação
Ou lágrima de decepção 
Sangro o amor
E o desamor
O óvulo que fecundou
O feto que não vingou
Sangue me desce perna a baixo
Cólica me contorce 
Sangue vivo e morto
Tem cheiro de medo
Hoje, um choro me acordou
pra mostrar a dúvida.
Afinal, 
O que foi que sangrou?
Salve Pacha

Extraordinária boca que fala
A filha cresceu 
Não cabe mais no meu colo
Agora sou eu que peço o colo dela
Garota sem mi mim mis
Não engole sapos
Diz o que tem a dizer
Não manda recados
Geração forte
Não está preocupada em agradar
Diz também o que dói
Extraordinária boca que tem voz
Empoderada garota feminista
Nunca terás mordaça
O mundo te abraça.
Magalhe Oliveira

Mulher
Mulher... diva
Criação de Deus, 
Nosso senhor
Mulher conquistadora, 
De valor,
Com o tempo fez das lágrimas superação  
Mulher cheirosa, perfume de rosas
Carinhosa.
Gordinha, baixinha, alta ou magra...
Seja como for
Abençoada pelo seu dia
Que é todos as horas
Gilmara Domingues

Mãe/mulher
É um misto de anjo, fada e santa
Possui o mistério da vida em seu vente
No parto esquece até da dor
Por causa do seu pequeno amor...
Quando a ocasião exige, é multifacetada
Podendo ser juíza, professora, advogada,
cozinheira, administradora ou enfermeira.
Ela sabe fazer um chá mágico, que cura qualquer dor
Porque nos ingredientes, coloca uma pitada de amor...
Tem um beijo doce como o mel,
um colo mais macio que qualquer divã.
Seu olhar é infinito como o céu, tem um grande coração
seus filhos, grandes ou pequenos, terão sempre sua atenção...
Pode ser delicada, mas de frágil, não tem nada!
Nedi R. Gaske.

22/06/22 às 09h50

Glauber Vieira Ferreira

15/06/22 às 08h50

Academia Cachoeirense de Letras

08/06/22 às 10h55

Fotopoemas

25/05/22 às 08h40

Milton Avena Rauber

18/05/22 às 17h05

José Carlos Capinam

11/05/22 às 09h10

Dércio Braúna

04/05/22 às 13h40

João Paulo Paes

20/04/22 às 09h11

Gonçalino Fagundes

13/04/22 às 08h48

Lygia Fagundes Telles

06/04/22 às 08h30

O profeta, de Khalil Gibran