A poesia e a consciência negra

24/11/21 às 08h30



Novembro personifica a consciência negra.  Este post especial do blog sintetiza a temática trazendo versos que questionam, refletem e descrevem de modo plural e sui generis o preconceito, a igualdade social e o histórico de lutas e conquistas do povo negro. São poemas densos. Rigorosos. Atemporais. Versos com isonomia.  Identidade e dignidade. Que espelham e evidenciam a necessidade de premência e sensatez.  Que ressignificam momentos. Sugerem amor.  A literatura como voz. A poesia como testemunha. Versos maduros escritos por jovens. Sobretudo adolescentes talentosos e especiais.  Os poemas aqui versados escritos pelos alunos do Colégio Ulbra São Pedra, turma 101, da disciplina de Projeto de Vida. A atividade teve como premissa a palestra do Acadêmico, ativista e diretor da UNE Ryan Rosa e foram inspirados em produções poéticas de Conceição Evaristo, Esmeralda Ribeiro, José Carlos Limeiro, José Craveirinha e Solano Trindade. 

Sombra do morro
Presos em uma corda
Eles tentavam subir 
Com uma âncora nas costas
A altura era evidente
Agora, já soltos da corda
Ainda a seguram
Subindo aos poucos
Sem enxergar tudo à frente
Logo, com persistência
Chegarão ao topo
E enxergarão, com os outros
O horizonte inteiramente
Carolina Haetinger

\\

Natureza livre
Espaço de alegria
Natureza ao redor
Pássaros cantando
Lugar de grande esplendor
Sol raiando
Com grande intensidade
Nas peles dos negros
Muitas desigualdades
Muitas esperanças
A vida inteira
Por ali sofrendo
Levando chicoteadas
Sempre obedecendo
E aí se vão
Longas vidas
Sentindo saudades
De suas liberdades
E das famílias queridas
Sandriéli Teixeira Cardoso

Racismo 
Racismo é algo que não aparece... mas é visto.
É algo que não está escrito... mas é lido
É algo que não é gritado... mas é ouvido.
É algo que não é tocado...mas é sentido...
quem viu,
leu, ouviu
e sentiu,
sabe dizer o que é
A vida não é fácil, mas fácil seria;
Se existisse mais respeito do que preconceito;
Se existisse mais tolerância do que ignorância.
Se existisse mais honestidade do que ambição.
Eu me pergunto o porquê do preconceito
Seja de raça, cultura ou crença
É algo que não serve de nada
Nem tampouco nos acrescenta.
Leticia Dickin Rodrigues

Espelhos
Reflexos retratam culturas,
Junto com as vivências cotidianas.
Recheadas de tradições,
Iluminam gerações.
No rico espelho individual,
Semelhanças e diferenças.
Feitos da mesma base,
Opositores nos pensamentos.
Mesmo com imagens singulares,
Repressão e distinção.
Histórias carimbadas
Por olhos cruéis.
Ações corroem lentamente
A diversidade dos povos.
Lutas diárias pela esperança
Do dia da igualdade.
Lívia Marcele Gross

Na cor da minha pele
Na cor da minha pele há muita luta
Na cor da minha pele há muita bravura
Na cor da minha pele há sempre esperança
Na cor da minha pele há uma criança,
Que nasce, cresce 
Anseia pela liberdade, respeito
E no fundo do meu peito, há na cor da minha pele
Uma verdadeira história para contar.
Iasmin Teixeira Milanesi

\

Seres humanos
No princípio, uma explosão
Que deu origem a tudo o que existe
Após milhões de anos, a evolução
Permitiu que a humanidade surgisse
Com suas características distintas
Sejam elas físicas ou culturais
Mesmo que tornem nossa espécie mais bela
No fundo sabemos
Que somos todos iguais
Mas se a conclusão é tão óbvia
Porque existe tamanha discriminação?
Será que anos tão sombrios de nossa história
Justificam tanto preconceito e ódio
Contra nossos próprios irmãos?
A aversão ao desconhecido
O preconceito por causa da cor
É um pensamento revoltante e primitivo
Uma falta de empatia e amor
Essas dolorosas cicatrizes da escravidão
No Brasil especialmente, tão ardidas
Uma desigualdade racial chocante
E inúmeras vidas perdidas
Essas memórias jamais serão esquecidas
Aprenderemos com nosso passado
Apesar de ser impossível curar as feridas
Nos livraremos deste pensamento atrasado
Ainda que levem muitos anos
Porque não há brancos ou negros
Apenas pessoas
Seres humanos
João Pedro Simon Figueiró

Nossa essência
Pessoas sendo julgadas pela cor
Sofrimentos e muita dor
Quanta falta de empatia
Pare e pense, repense
Por que destas atitudes?
Por que ser rude?
Nós somos todos iguais
Melhorem seus ideais
Todos têm a mesma essência
Vamos dar uma maior evidência
Acabar com a diferença
Levem em conta a mente
O coração
Não a cor
Gustavo Boeck da Silva

17/11/21 às 08h40

Alice Walker

10/11/21 às 08h25

Alcione Sortica

03/11/21 às 13h20

Walt Whitman

27/10/21 às 08h40

Danielle Magalhães

20/10/21 às 08h25

POEMAS PARA PROFESSORES

13/10/21 às 13h16

Maíra Ferreira

06/10/21 às 08h30

Feira do Livro

29/09/21 às 08h20

Parceiros do acolhimento

22/09/21 às 08h30

Poemas Farroupilhas

15/09/21 às 08h40

Hélio Flanders

08/09/21 às 13h30

Solano Trindade

01/09/21 às 09h00

POESIA NAS ESCOLAS