Parceiros do acolhimento

29/09/21 às 08h20



O grupo Parceiros do Acolhimento foi criado no dia 3 de agosto de 2021 pela Redutora de Danos Suzana Weirich e o paciente Douglas Silva Stancoviti. O projeto nasceu da necessidade premente de criar um coletivo no qual todos pudessem encontrar um local de caráter especial onde fosse possível compartilhar vivencias e percepções, com autonomia sugestiva e afeto. As dinâmicas, realizadas no Ambulatório Vida, anexado ao Hospital da Liga, incluem atividades de auto aceitação e valorização ao bem-estar. Neste lugar de ser, além das terapias convencionais, são realizadas ações extras como café literário, saraus, sessões de leitura e produção de escrita criativa. A criação de uma biblioteca é o próximo projeto. O Ambulatório V conta com mais de vinte anos no trabalho de prevenção e tratamento de ISTs, Aids, Hepatites Virais e Tuberculose, e trata-se de uma unidade de serviço especializado, ficando junto à Secretaria de Saúde do município. Faz parte da equipe multidisciplinar os seguintes profissionais; Médico, Enfermeiro, Téc. de Enfermagem, Farmacêutica, Redutora de Danos e Higienizadora. A frequência média no grupo é de 8 pacientes.  No entanto, esse número cresce diariamente. Alguns apoiadores merecem destaque e menção, entre eles a Coordenadora do Ambulatório Vida, a Técnica de Enfermagem Denise Azevedo Grandini e a onipresente aluna do técnico de Enfermagem Fernanda dos Santos. Os poemas desta edição do JP Literário foram produzidos a partir das referidas oficinas. Versos tributos. Densos e sinceros, Textos que se reinventam e renovam. Retratam a benquerença com singularidade. Poemas de empatia. Reflexão. Esperança e amor.

Grupo de:
Um 
Dois 
Três
É um querer bem, 
Aprender com a 
 Sabedoria 
De quem tem um
Coração que pulsa,
No olhar,
No sorriso,
No mar
Amar
É dar a mão,
E sentir no outro,
Porque a vida é uma
Roda gigante
Se agora embaixo,
Num instante no topo!
Flor de Lótus

Para Douglas com carinho
A vida tem que ser como um jardim
Cuidar de cada flor
De cada folha e regar com amor.
Amigo como você,
É uma benção em nossas vidas,
Amigos tem que olhar nos olhos e sentir a sinceridade
No olhar
No coração
E estar nas horas difíceis
Segurar sua mão e abraçar 
Muitas vezes sem precisar palavras.
Meu nome é Esperança
Flor de Lis

Como estrela
(Para Maria Eloá da Silva)
Ela chega sempre alegre,
Com sua luz e alegria
Resplandece por onde passa ela pode ter vários problemas 
Mas para os outros é como se ela não tivesse nenhum,
Ela brilha, brilha, brilha
E sempre irá brilhar
Como uma estrela ela sempre irá te guiar.
Douglas da Silva Stancoviti

Acorrentada    
Silêncio
Sinto que as batidas do meu coração 
Se estendem e dissimulam uma curva sinuosa que se perde.
Ausência
Onde você está que não está aqui?
Meu rosto ânsia rugindo distâncias.
Minha alma é como tigre que se vê em lago congelado
O frio ainda está aqui
Ainda é inverno
Mas nem sempre será
A trepidez de minhas mãos, o suor
O sangue, meu dna separado o que é mesmo?
Quem são esses outros olhos que me olham e julgam sem parar?
Qualquer caminho parece um labirinto
Espero algum dia que alguém venha
Mas não
Onde estou agora?
Que estou aqui.
Minha face ama
Era a aluna mais atenta e a filha mais amorosa
Minha mente flutua em neologismos
Onde estou agora?
Voando... Voando... Voando...
Me deixe onde estou
Minhas mãos sentem a textura das lâminas 
O monte ainda parece romper em vulcão.
Enquanto tudo, eu.
Catrina Belgrado

20/10/21 às 08h25

POEMAS PARA PROFESSORES

13/10/21 às 13h16

Maíra Ferreira

06/10/21 às 08h30

Feira do Livro

22/09/21 às 08h30

Poemas Farroupilhas

15/09/21 às 08h40

Hélio Flanders

08/09/21 às 13h30

Solano Trindade

01/09/21 às 09h00

POESIA NAS ESCOLAS

25/08/21 às 09h00

Sara Jardim, 100 anos

18/08/21 às 09h00

Nicanor Parra

11/08/21 às 09h00

Poemas dia dos pais

04/08/21 às 09h00

Ana Mello

28/07/21 às 08h40

Guidugli