Blog dos Livros

Invenções que mudaram o mundo

01/12/2023 09:09 - por Mildo Fenner

Novo lançamento da Editor Bela Vista Cultural,  “China –Brasil: invenções que mudaram o mundo” (280 páginas) aborda  como séculos de criatividade chinesa moldaram o nosso cotidiano com invenções tão importantes,  mas que muitas vezes passam despercebidas por nós.  Das maravilhas ancestrais às tecnologias modernas, o livro apresenta a história  por trás de objetos, instrumentos, técnicas e costumes que fazem parte do nosso dia a  dia e  revelam conexões surpreendentes,  aproximando duas nações tão distantes geograficamente.

Dividida em duas partes,  a publicação tem início  com uma apresentação  dos principais aspectos artísticos,  culturais e históricos do país.  Na segunda metade, temos as criações chinesas que mudaram o mundo  e a nossa sociedade atual,  mostrando em que medida  tais contribuições   transcendem as fronteiras do tempo e do espaço.

Como exemplo,  a  obra   mostra como os chineses foram os primeiros a forjar ligas metálicas,  como o bronze,   e com habilidade fizeram uso dele por séculos.  A publicação traz também as inovações agrícolas que,  desde as primeiras dinastias,  permitiram o aumento da produtividade no campo e, desta forma,  alimentar a  sua população,  além de explicar    sobre a invenção do papel  e  as inovações  no campo da engenharia.

São destacados também outros avanços tecnológicos,  como a invenção da pólvora e a  criação de uma nova técnica de impressão,  com base em tipos móveis,  que permitiu a impressão em larga  escala dos primeiros clássicos da literatura e do confucionismo, democratizando a informação.  Já com a bússola,  a obra mostra como a China pôde dispor de uma impressionante esquadra naval que favoreceu o comércio com outros continentes. Além disso, é relatado  como foi possível  estabelecer a maior  rede comercial  do mundo antigo, a Rota da Seda,  através de novas invenções, como o cultivo do chá, a produção da seda  e da porcelana.

Em sua parte final, o livro aborda o contexto em que o Brasil recebeu  diferentes levas de imigrantes chineses e analisa  as atuais relações comerciais e diplomáticas entre os dois países.

Com prefácio de Daniela Sena,  empresária e empreendedora que vive na China desde 2010,  ilustrações exclusivas e  imagens deslumbrantes,  que complementam os textos,  a publicação faz parte de uma ação cultural mais abrangente que conta com patrocínio da CMOC Brasil por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Rouanet) e apoio do LIDE China. A iniciativa inclui ainda  uma cartilha educativa, ações educacionais  e a  doação de livros em escolas públicas, uma exposição fotográfica, um curso para professores e um audiobook  visando a   acessibilidade  de pessoas com deficiência visual.

Trecho:
“Não há dúvidas de que a presença  chinesa no Brasil é parte importante da grandiosidade  cultural do país. Ao longo do tempo, os chineses não apenas contribuíram  para a economia e  a  sociedade brasileira,  mas também nos enriqueceram com sua culinária,  suas tradições e suas celebrações.  Essa diversidade cultural  une os dois países e ajuda a  estreitar  os laços de cooperação.”
(Página 150)

LUTAS E FEMINISMO
Publicada pela Editora de Cultura, a obra “Tudo isso é feminismo? –uma visão sobre histórias, lutas e mulheres” marca a  estreia na literatura da deputada federal do Rio Grande do Sul, Fernanda  Melchiona. O lançamento é na Festa Literária Internacional de Paraty e a  autora  conta suas experiências  sobre o feminismo e  as lutas das mulheres em diferentes espaços sociais. 

GAÚCHO NO JABUTI 
O escritor gaúcho Henrique Schneider, de Novo Hamburgo, está na fase final do consagrado Prêmio Jabuti de 2023 na categoria Livro Brasileiro Publicado no Exterior.  A   obra chama-se “Setenta” e foi lançada em 2022 na Itália, falando sobre o período brasileiro de 1964  a 1985.  O livro foi vencedor do Prêmio Paraná de Literatura em 2019 e agora concorre ao Jabuti nesta outra categoria. Os vencedores do concurso serão conhecidos em cinco de dezembro. 

Leituras:
“Quando os ricos fazem a guerra, são sempre os pobres que morrem.” 
(Jean-Paul Sartre  (1905-1980),  filósofo, escritor e  crítico francês,  conhecido como representante do Existencialismo). 

Destaques:

A POESIA DO AGORA


Autor:
Tiago Vargas

Livro de poesias deste poeta, escritor, tradutor e professor, autor das obras “Azedume,” “Todos os silêncios do mundo,” “Outro eu”  e “O livro dos provérbios e outros minicontos.” Segundo o também escritor Marion Cruz, que faz a apresentação da obra, “os poemas aqui reunidos são como fragmentos de sonhos,  juntando-se como peças  de um quebra-cabeça que, quando montado,  forma um quadro impar da alma humana.”  O livro “A poesia do agora” foi lançado na 38ª. Feira do Livro de Cachoeira do Sul, realizada este ano.
Editora Evangraf.  47  páginas. R$ 45,00.    

A ARTE DA FUGA


Autor:
Jonathan Freedland

História de um homem brilhante e inquieto que, mesmo muito jovem,  entendeu que a  diferença  entre a  verdade  e   a  mentira  pode  ser a  diferença entre a  vida e  a  morte. Em abril de 1944,  após viver e  testemunhar  imensos sofrimentos e  observar companheiros tentarem fugir sem sucesso, o adolescente Rudolf Vrba  tornou-se um dos primeiros judeus  a  escapar de Auschwitz e  abrir caminho para a  liberdade. Jonathan Freedland, colunista do “The Guardian” e  ex-correspondente estrangeiro,  é autor de doze livros e conquistou um Prêmio Orwell de Jornalismo.
Editora Intrínseca.  374  páginas. R$ 79,90.   

(As obras apontadas  no Blog dos Livros  podem ser encontradas   junto à Revistaria e Livraria Nascente, na Rua Saldanha Marinho,   1423, Cachoeira   do Sul). 

Faça seu login para comentar!
23/02/2024 09:54

O melhor de cada um

16/02/2024 08:59

História familiar

09/02/2024 09:26

Percepções para o amor

02/02/2024 09:39

Escuridão da floresta

26/01/2024 09:45

Entre prosa e fotografia

19/01/2024 10:20

Cardume de poemas

12/01/2024 09:16

Celebrando um cantador

05/01/2024 09:51

Descamuflando a cretinice

29/12/2023 09:32

O poder da pausa

15/12/2023 09:04

O teatro brasileiro

07/12/2023 16:27

A trajetória de um disco