Blog dos Espíritos

Cristo renasce dentro de nós

01/04/2024 08:43 - por Rosane Sacilotto

A crucificação de Jesus
A crucificação de Jesus na Bíblia se deu por conta da enorme popularidade conquistada por suas obras. Como ele pregava por toda parte, líderes religiosos locais acabaram se revoltando, uma vez que Cristo sugeria uma nova maneira de olhar e amar a Deus. Portanto, eles o consideraram herege, blasfemo e enganador. Dessa maneira, após a traição de Judas, que o entregou ao exército romano, Jesus foi condenado e crucificado.

Jesus morreu na cruz, em um episódio extremamente cruel e doloroso. Seu desencarne teve de ser assim para que sua jornada não fosse esquecida e para que os indivíduos compreendessem que somente uma vivência semelhante à do Cristo nos garante libertação e salvação. A missão de Jesus foi propagar a mensagem de amor, fé e caridade e sua crucificação foi para nós uma importante lição de humildade e resignação.

Ressurreição e reencarnação
O Evangelho Segundo o Espiritismo, em seu Capítulo IV, assim nos distingue os dois termos: “Com efeito, a ressurreição dá ideia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos. A reencarnação é a volta da alma ou Espírito à vida corpórea, mas em outro corpo especialmente formado para ele e que nada tem de comum com o antigo”.

Há ainda no Evangelho passagem em que o próprio Jesus nos esclarece: “(...) entre os fariseus havia um homem chamado Nicodemos, senador dos judeus — que veio à noite ter com Jesus e lhe disse: “Mestre, sabemos que vieste da parte de Deus para nos instruir como um doutor, porquanto ninguém poderia fazer os milagres que fazes, se Deus não estivesse com ele”. Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade digo-te: Ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo”. Disse-lhe Nicodemos: “Como pode nascer um homem já velho? Pode tornar a entrar no ventre de sua mãe, para nascer segunda vez?”.

Retorquiu-lhe Jesus: “Em verdade, em verdade, digo-te: Se um homem não renasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. — O que é nascido da carne é carne e o que é nascido do Espírito é Espírito. — Não te admires de que eu te haja dito ser preciso que nasças de novo. — O Espírito sopra onde quer e ouves a sua voz, mas não sabes donde vem ele, nem para onde vai; o mesmo se dá com todo homem que é nascido do Espírito”.

Tal passagem mostra que o corpo físico é uma veste perecível, do qual o Espírito imperecível se utiliza. Desse modo, a cada nova experiência na matéria, uma nova roupa adequada às nossas necessidades espirituais nos é emprestada. Nós renascemos pela água (reencarnando no corpo físico, material), mas tardamos o renascer pelo Espírito (evoluir moralmente). E reencarnar na Terra tem justamente a função de auxiliar no progresso moral e espiritual.

Jesus renasce em nosso corações
O Espiritismo, como Cristianismo redivivo, vem propor nossa regeneração, promovendo o renascer de Jesus nos nossos corações. Propõe o renascimento  constante do “homem velho”, egoísta e orgulhoso, transformando-se no “homem novo”, mais caridoso e humilde. 

Joanna de Ângelis, na obra “Jesus e atualidade”, acrescenta: “Assim como Nicodemos, todo aquele que estivesse na presença do Cristo sentiria a necessidade de renascer, renovar-se. Tal a influência do Mestre em nossas vidas, fazendo-nos pressentir a Lei de Progresso latente na consciência. A psicoterapia que Jesus utilizava era centrada na reencarnação, por saber que o homem é o modelador do próprio destino, vivendo conforme o estabeleceu através dos atos nas experiências passadas”.

Sabemos que os fatores que programam as condições do nosso renascimento do corpo físico são resultados dos nossos atos e pensamentos de existências anteriores. Somos os modeladores do próprio destino através das nossas escolhas. É a Lei de Causa e Efeito, na qual estamos todos submetidos.

Portanto, podemos mobilizar nossos recursos internos presentes para modificar nosso rumo e trilhar novos caminhos redentores. Caminhos estreitos que nos levem ao único “caminho, verdade e vida” que é Jesus.

Ainda na obra de Joanna, pela psicografia de Divaldo Franco, recebemos a lição: “A reencarnação é a terapêutica para o resgate do homem. O ser vai aprendendo a se confrontar com as consequências dos atos e escolhas. Sendo chamado a assumir a responsabilidade da própria vida.

A reencarnação de que te utilizas é concessão superior, que não podes desperdiçar. Cada momento é valioso para o teu trabalho de sublimação, de desapego, de amor puro. Abrevia os teus renascimentos agindo corretamente e servindo sem cansaço, com alegria, porquanto, para adentrares no reino dos céus, que se estende da consciência na direção do infinito, é necessário nascer de novo, conforme Ele acentuou”.

Não somente nestas datas, mas diariamente, vamos praticar o renascimento do Cristo no coração de cada um. Renascimento em cada novo dia de existência aqui na Terra. Disposição para recomeçar quantas vezes forem necessárias e cada vez mais assertivamente para que a experiência tenha valido a pena. Sentir a presença do Cristo na intimidade, nos alinhando com os propósitos superiores das Leis Divinas, por meio de atitudes e comportamentos que se alinham com a ética e a moral, a conferir dignidade humana a todos os seres de boa vontade.

KARDEC, Allan. “O Evangelho Segundo o Espiritismo”.
FRANCO, Divaldo Pereira - Joanna de Ângelis. “Jesus e atualidade”.

Faça seu login para comentar!
08/04/2024 11:33

A porta estreita

25/03/2024 11:01

Deus e o Espiritismo

18/03/2024 10:45

O verdadeiro espírita

11/03/2024 09:40

Fé raciocinada

04/03/2024 09:42

O passe espírita

26/02/2024 10:38

A casa espírita

19/02/2024 09:32

O grão de mostarda

05/02/2024 09:49

O Consolador Prometido

29/01/2024 09:06

Reforma íntima

22/01/2024 09:08

O temor da morte