Lei de evolução

16/05/22 às 08h58 - por Eleni Maria Machado



Todos estamos sujeitos à lei do progresso, queiramos ou não, acreditemos ou não. E vamos progredindo nas diversas encarnações que já tivemos e nas que teremos ainda. Nossa evolução se dá passo a passo, de encarnação em encarnação, até que estejamos totalmente depurados e, então, seremos Espíritos puros, alcançando a missão que nos foi dada por Deus, que é a de nos tornarmos perfeitos. E para que essa missão se cumpra é preciso que obedeçamos às Leis Divinas, ou Naturais, que são as leis de adoração, trabalho, reprodução, conservação, destruição, sociedade, progresso, igualdade, liberdade e, por fim, a de justiça, amor e caridade.

Marcha do progresso
Q. 779.  A força para progredir, haure-a o homem em si mesmo, ou o progresso é apenas fruto de um ensinamento?
“O homem se desenvolve por si mesmo, naturalmente, mas nem todos progridem simultaneamente e do mesmo modo. Dá-se então que os mais adiantados auxiliam o progresso dos outros, por meio do contato social.”

Q. 780.  O progresso moral acompanha sempre o progresso intelectual?
“Decorre deste, mas nem sempre o segue imediatamente.”
a)    Como pode o progresso intelectual engendrar progresso moral?
“Fazendo compreensíveis o bem e o mal. O homem, desde então, pode escolher. O desenvolvimento do livre-arbítrio acompanha o da inteligência e aumenta a responsabilidade dos atos.”
b)    Como é, nesse caso, que, muitas vezes, sucede serem os povos mais instruídos os mais pervertidos também?
“O progresso completo constitui o objetivo. Os povos, porém, como os indivíduos, só passo a passo o atingem. Enquanto não se lhes haja desenvolvido o senso moral, pode mesmo acontecer que se sirvam da inteligência para a prática do mal. O moral e a inteligência são duas forças que só com o tempo chegam a equilibrar-se.”

As leis morais estão escritas nas nossas consciências, como podemos ver na resposta à questão de número 621- Livro dos Espíritos (LE). Quando as infringimos, criamos sofrimento para nós; aflições, dores desnecessárias, culpas, medos, raiva, etc.

Mas podemos constatar, como nos ensinam os Espíritos Superiores que, mesmo parecendo que a perversidade do homem não encontra limites e, que este parece não avançar, pelo menos do ponto de vista moral, isso é uma inverdade. O progresso se dá, a humanidade se adianta e nunca retrocede. Uns mais lentos, outros mais rapidamente, mas sempre progredindo. Então alguém perguntará por que Deus permite o excesso do mal? Porque quando sentimos os reflexos do mal, também sentiremos a necessidade do bem e das reformas que deveremos impor a nós mesmos.

O trabalho é uma das leis naturais e necessárias ao nosso estágio evolutivo. Evoluímos, nos tornamos civilizados e esta condição nos aumenta as necessidades e, também, os gozos.

Necessidade do trabalho
Q. 676. Porque o trabalho se impõe ao homem?
“Por ser uma consequência da sua natureza corpórea. É expiação e, ao mesmo tempo, meio de aperfeiçoamento da sua inteligência. Sem o trabalho, o homem permaneceria sempre na infância, quanto à inteligência. Por isso é que seu alimento, sua segurança e seu bem-estar dependem do seu trabalho e da sua atividade. Em compensação, ao extremamente fraco de corpo outorgou Deus a inteligência, mas é sempre um trabalho.”

Podemos ver que temos ao nosso alcance todas as possibilidades para alcançarmos esse progresso que nos foi dado por Deus como missão e que não estamos desamparados e nem relegados à própria sorte. Estamos sempre sob o amparo de Deus, Jesus e os Espíritos Superiores, que nos tutelam a vida.

22/06/22 às 10h15

Lei de adoração

13/06/22 às 10h48

São chegados os tempos

06/06/22 às 09h10

Lei Divina ou Natural

23/05/22 às 09h10

O jugo leve

09/05/22 às 08h50

A vida e a morte

02/05/22 às 09h00

Mundo normal primitivo