Blog Do Mistério

A lenda do Rio Lete

20/06/2024 13:34 - por Gisele Wommer

A Grécia antiga é palco de mitos e lendas, uma delas, não tão conhecida é a do Rio Lete. Diz-se que suas águas têm o poder de apagar memórias, uma crença que persiste há gerações. A palavra Lete (ou Léthê, do grego) significa esquecimento. Na Grécia Antiga, acreditava-se que aqueles que bebessem das águas do Lete, experimentariam o completo esquecimento, todas as suas memórias seriam apagadas. 

Mas o Lete não se limita ao esquecimento, está intimamente ligado ao conceito de reencarnação e outras vidas. Nos Campos Elísios, as almas bebiam das suas águas para esquecer suas vidas terrenas antes de renascerem. Este mito me misturava com outras tradições esotéricas que mencionavam um segundo rio, o Mnemósine, cujas águas concederiam a omnisciência. Esta dualidade entre esquecimento e lembrança é um tema recorrente em várias culturas e sugere um profundo entendimento humano sobre a memória e sua fragilidade.

A influência do mito do Lete se estende também à literatura ocidental, como exemplificado na Divina Comédia de Dante Alighieri. No Purgatório, Dante descreve o Lete como um rio cujas águas são necessárias para que as almas purgadas esqueçam seus pecados e entrem no Paraíso. Esta representação reforça a ideia de purificação e esquecimento como um processo necessário para alcançar um novo estado de existência. A integração dessas tradições gregas pagãs com a teologia cristã por Dante ilustra a permeabilidade e a longevidade do mito.

A ciência já se propôs a investigar até que ponto o mito se torna real, mas ainda não há respostas. Enquanto as aguardamos, o rio Lete continuará enigmático e influente. Ele nos lembra do poder duradouro das histórias. Certamente, se sua eficácia fosse comprovada, haveria quem quisesse beber de suas águas.

 

Faça seu login para comentar!