A Caixa de Dibbuk

05/05/22 às 08h30



\

Você que procura um presente diferente para o Dia das Mães duvido que vá superar o americano Kevin Mannis. Ele presenteou a mãe com um dos objetos malditos mais conhecidos dos últimos tempos. Alguns dias depois de receber o presente, a mãe acabou infartando em função de coisas incomuns virarem rotina em sua casa. E pior é que Kevin deu a caixa para mãe justamente porque não conseguia ficar com ela dentro de casa! Filho assim não se encontra em qualquer esquina e nem a caixa, ainda bem.

O que tinha na tal caixa que causou tanto estardalhaço?
Vamos aos fatos. Kevin era dono de uma loja de antiguidades e comprou uma caixa de vinho velha em uma venda de garagem. Uma garotinha que acompanhava a família nas vendas avisou para Kevin que a avó queria que aquela caixa tivesse sido enterrada junto com ela, mas ele não deu ouvidos, claro.

Ao levar a caixa para sua loja, Kevin abriu. Dentro dela havia duas moedas, duas mechas de cabelo (uma loira e uma morena) presas com elástico, um pedaço de granito com a palavra shalom escrita em hebreu, uma taça de vinho dourada e um candelabro de ferro. Ele não entendeu muito, mas também não se importou. Enquanto pensava se restaurava a caixa, coisas estranhas começaram acontecer na loja de Kevin. Sua funcionária ouvia barulhos de vidro quebrando, sussurros assustadores em seu ouvido e não conseguia lidar com o odor que tomou conta da loja. Assim, acabou por demitir-se e ir embora da cidade, dramática a moça, não?

Quando Kevin percebeu que a caixa era a causadora dos seus problemas, teve a brilhante ideia de presentear a mãe e depois que ela infartou tentou dar a caixa a um irmão que, obviamente não aceitou. Sem ter o que fazer Kevin abriu um leilão da caixa no e-bay, contando toda a história dela.

E teve interessados? Claro, um jovem universitário arrematou o item, mas ficou em sua posse por pouco tempo. No início ele retava a atividade paranormal que estava vivenciando em seu blog pessoal, mas quando abriu a caixa durante uma festa, para se exibir para algumas garotas, a situação ficou insuportável. O rapaz passou a reclamar do mau cheiro constante, dos vultos que via e do telefone que tocava sem nunca ter ninguém ao outro lado. Vendeu a caixa novamente no e-bay.

O diretor do museu de medicina de Kirksville, Jason Haxton, que já vinha acompanhando a rotina do rapaz em seu blog, arrematou a caixa. Jason também sofreu os males que o objeto causou aos demais, como o mau cheiro e os vultos. Então procurou a origem da caixa.

Ao encontrar a família que fez a primeira venda no bazar, Jason descobriu que a caixa veio da Polônia e quem 1938 sua primeira dona e outras mulheres participaram de um ritual para prender nela um espírito maligno, conhecido como dibbuk. Por isso a dona deixou instruções para que a caixa nunca fosse aberta, mas elas não foram seguidas.

Para controlar a fúria do espírito que estava anulado no objeto, Jason chamou uma amiga espírita e eles fizeram um ritual. Ele afirma que os problemas pararam e que a caixa hoje está segura, mas não diz onde colocou. Ele fez uma réplica para mostrar a curiosos e exibir em programas de televisão. 

Curiosidade: A história da caixa inspirou o filme A possessão, de 2012.

Frase: “A possessão não é um espírito que entra no ser humano, mas sim uma junção de energias negativas que causam um distúrbio ao mesmo”. Walexr

12/05/22 às 11h00

Um personagem sombrio

28/04/22 às 09h00

A garota poltergeist

21/04/22 às 09h36

Os fantasmas do Theatro

14/04/22 às 09h55

A moça do táxi

24/03/22 às 08h50

A panela de ouro

17/03/22 às 08h30

Noite de lua cheia

10/03/22 às 09h40

Tereza Bicuda – Lenda Urbana

24/02/22 às 08h20

Ditados macabros